HOME | Principais Cidades de São Paulo | Regiões e Cidades | Turismo e Cultura | Mapas Temáticos | Artigos | Mapa do Site
 
  Jundiaí: A Terra da uva
 
 
Para saber mais sobre a cidade
e outras conveniências:
Distância da capital: 60 km
A cidade
Números
Como chegar
Distância entre as cidade da região
Mapas Temáticos - Índice

 
     

Jundiaí possui uma localização estratégica, próxima à capital paulista e outros importantes núcleos urbanos do Estado, como Campinas (40 km), Limeira (66 km) e Sorocaba (70 km).

Sua malha viária compreende as seguintes estradas: Rodovia dos Bandeirantes, Rodovia Anhangüera, Estrada Velha de São Paulo–Campinas, Rodovia Marechal Rondon e Rodovia das Estâncias (Circuito das Águas). Dispõe de um aeroporto estadual, cuja pista está sendo ampliada para receber aviões de maior porte, e de cinco helipontos, além da proximidade com aeroportos internacionais, como Viracopos, a 30 km, e Guarulhos, a 80 km.

Por sua vez, a Hidrovia Tietê–Paraná, através do Terminal Intermodal de Pederneiras, fica a cerca de 250 km. A ligação ferroviária operada pela Ferroban permite o acesso ao Porto de Santos (130 km) e ao interior do Estado. Todas essas facilidades de transporte vêm atraindo um número crescente de empresas de logística para Jundiaí, que conta, também, com uma Estação Aduaneira do Interior – Eadi (porto seco) para agilizar a exportação e importação de mercadorias.

Possui rede de distribuição de gás natural, proveniente do Gasoduto Bolívia–Brasil, que abrange praticamente todo município, e ligação com a capital do Estado por meio de rede de fibra óptica.

A atividade agropecuária é importante em Jundiaí, conhecida como a Terra da Uva. Existe uma produção significativa de frutas, principalmente uvas tipo niagara e morangos, além de outros hortifrutigranjeiros, avicultura de corte e rebanho bovino, que se destinam ao mercado local, regional e, também, à exportação.


O município possui a 5ª população rural do Estado. Preserva um cinturão verde, que corresponde a mais de 50% da área total, que é de 43,2 mil hectares, sendo cerca de 9 mil hectares pertencentes à Serra do Japi, área de preservação ambiental tombada pelo governo estadual. Assim, empresas poluidoras não podem se instalar na cidade.

Em setembro de 2002, realizou-se a 3ª Agrishow FFH – Feira de Tecnologia Aplicada à Produção de Flores, Frutas e Hortaliças, organizada pela Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos – Abimaq, que contou com 96 expositores e cerca de 12.500 visitantes, movimentando um volume de negócios em torno de R$ 25 milhões.

Essa feira visa levar aos micros, pequenos e médios produtores rurais de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e sul do país, as modernas técnicas de plantio, colheita, proteção, armazenagem e logística, através de apresentação estática nos estandes e demonstrações práticas no campo. O foco principal são os que atuam nos cinturões das grandes regiões metropolitanas e necessitam incorporar tecnologia às suas atividades, agregando valor e se tornando competitivos. O evento tem o apoio da prefeitura e de importantes institutos de pesquisa, como Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa, Emater, Instituto Agronômico de Campinas – IAC, Instituto de Economia Agrícola – IEA, Instituto Brasileiro de Floricultura – Ibraflor, de universidades como a Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz – Esalq, da USP/Piracicaba, além de entidades empresariais, entre elas a Sociedade Rural Brasileira, o Sindicato Rural do Estado de São Paulo e a Associação de Agricultura Orgânica – AAC.

Jundiaí tem, hoje, um parque industrial com mais de 500 empresas atuando em variados setores, como: químico, embalagens, autopeças, metalmecânico, alimentos, vestuário, cerâmico, etc, sendo parte da produção exportada para diversos países. Dispõe de seis zonas industriais e dois distritos industriais com infra-estrutura completa, além de uma incubadora de empresas, envolvendo parceria prefeitura, Ciesp/Fiesp e Sebrae.

Entre as grandes empresas instaladas no município, estão a Coca-Cola (Spal/Panamco), com a maior fábrica de refrigerantes do mundo; a Parmalat, com seu maior complexo industrial; e a Incepa, com a maior fábrica de louças e metais sanitários. Além dessas, destacam-se: alimentos e bebidas – Fleishmann & Royal, Ambev, Vinícola Cereser, Vinagre Castelo, Borin, Frigor Hans, Vinícola Amália; louças e metais sanitários – Deca, Duratex e Ideal Standard; autopeças – Textron, Sifco, EBF Vaz, Petri; borracha, plásticos e embalagens – Klabin, Injept, Intertank, Astra, Correias Mercúrio, Engepack, Riverwood Suzano; construção civil – Giassetti, Reago; eletrônico – Itautec/Philco, Siemens; químico – AGA, IBG, Dow Química, Messer, ICI, Akzo; e têxtil – Meias Aço, CMR, Fides.

Na área do comércio, existem atacadistas, revendedores de automóveis das mais diversas marcas e, ainda, filiais de importantes redes de supermercados, magazines, materiais de construção, etc., como Telhanorte, C&C, Carrefour, Champion, Extra, Barateiro, C&A, Ponto Frio, Riachuelo.

 
Além disso, Jundiaí vem se firmando como um dos pólos de logística e distribuição da Região Metropolitana de São Paulo, graças à ligação das rodovias Bandeirantes e Anhangüera com o Rodoanel Mario Covas. Atualmente, abriga cerca de 500 mil m2 de área construída, ocupada por centros de distribuição de empresas como Duratex, Sadia, FC, Caravel, Danzas, Integral/Eadi-Jundiaí, Renault Nissan, e Casas Bahia, a maior rede varejista de móveis e eletrodomésticos do país, que está ampliando seu depósito – o maior da América Latina –, de 189 mil para 270 mil m2. Também encontram-se em andamento novos projetos, que acrescentam outros 200 mil m2 de área construída, entre eles os da TAM Linhas Aéreas, da paranaense Destro Atacadista e da Indústria Brasileira de Gases – IBG.

A cidade conta com várias instituições de ensino superior locais, como a Escola Superior de Educação Física, a Faculdade de Medicina de Jundiaí, a Faculdade Padre Anchieta, com nove cursos de graduação, o Instituto de Ensino Superior Japi, a Universidade Paulista – Unip, com 15 cursos, inclusive Direito, Sistemas de Informação, Turismo e Fisioterapia, e a Faculdade Politécnica de Jundiaí, com diversas modalidades de Engenharia. Há cursos técnicos profissionalizantes nas mais diversas áreas, oferecidos pelo Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza – Ceeteps, Senai e Senac. Existe, também, uma unidade de pesquisa do Instituto Agronômico de Campinas – IAC.

Como os demais municípios da região de Campinas, pode, ainda, usufruir da excelente oferta de mão-de-obra qualificada e dos sofisticados centros universitários e de pesquisa existentes no entorno, como a Universidade Estadual de Campinas – Unicamp, a Pontifícia Universidade Católica de Campinas – Puccamp e Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz – Esalq.

Jundiaí dispõe de quatro hospitais particulares e dois públicos, 30 Unidades Básicas de Saúde e cinco ambulatórios de especialidades. Será construído um Hospital-Escola, ligado à Faculdade de Medicina. Além disso, tem acesso aos excelentes serviços de saúde oferecidos em Campinas.

A rede geral de água atende a 90% da população e, com a construção da represa de Jundiaí-Mirim, o abastecimento da cidade foi garantido para os próximos 20 anos. A coleta de esgoto é pública, mas o tratamento é feito por empresa privada, assim como o transporte coletivo e a coleta de lixo.

Existem dez condomínios residenciais de alto padrão e alguns conjuntos habitacionais populares, além de diversos empreendimentos imobiliários para a classe média que estão sendo construídos na cidade. Jundiaí conta, ainda, com vários hotéis de alto padrão.

Entre as principais atrações turísticas, estão vários museus, bibliotecas, o Centro das Artes Sala Glória Rocha, o Complexo Educacional e Cultural Argos, construções arquitetônicas interessantes, como o Teatro Polytheama, o Centro Islâmico e o Paço Municipal, e áreas de diversão e lazer, como o Parque Municipal e Reserva Biológica de Corrupira, o Parque Municipal Comendador Antônio Carbonari, a Serra do Japi, o Aeroclube e a Praça da Cultura. A poucos quilômetros de Jundiaí, no município de Vinhedo, está instalado um dos maiores complexos de lazer da América Latina, o Hopi Hari; em Itupeva, por sua vez, existe o Wet'n Wild; o primeiro parque aquático de São Paulo; e, na região, serão construídos mais sete parques de diversão temáticos.

A população dispõe também de 32 clubes recreativos e três shopping centers, sendo um de grande porte e dois de porte médio.

Há 46 agências bancárias, 24 terminais telefônicos para cada grupo de 100 habitantes, serviços de telefonia celular móvel e de locação de veículos. Existem duas redes de televisão (Globo/TV Aliança e TVE – Televisão Educativa), uma operadora de TV a cabo e uma retransmissora (TV Bandeirantes), além de 119 provedores de acesso à Internet.

Existem oportunidades para investimentos nas áreas de logística, armazenagem e distribuição; hotelaria, turismo de negócios e turismo rural, indústrias não poluidoras e de base tecnológica e telemarketing.

O município, um dos 15 que mais arrecadam ICMS – Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços no Estado, cobra alíquotas diferenciadas de ISS – Imposto sobre Serviços, visando atrair investimentos vinculados a certas atividades, como: logística, telemarketing e call center – 0,25%; indústrias produtoras – 1%; outras empresas – 1% a 5%.
 
Fontes consultadas: Fundação SEADE • Investimentos.SP - 2008