HOME | Principais Cidades de São Paulo | Regiões e Cidades | Turismo e Cultura | Mapas Temáticos | Artigos | Mapa do Site
 
  Hortolândia: Metalurgia e informática
são os pontos fortes desta economia
 
 
Para saber mais sobre a cidade
e outras conveniências:
Distância da capital: 105 km
A cidade
Números
Como chegar
Distância entre as cidade da região
Mapas Temáticos - Índice

 
     
Hortolândia situa-se a 105 km da capital e a apenas 20 km de Campinas, o mais importante pólo industrial do interior do Estado.

Possui uma moderna infra-estrutura viária, que facilita o escoamento da produção local, formada pelo complexo Anhangüera/Bandeirantes SP-330/ SP-348, que liga, num sentido, a cidade à capital e, em outro, às mais importantes cidades do interior do Estado, sul de Minas e Goiás; pela Rodovia Pedro I SP-065, em direção ao Vale do Paraíba e ao Rio de Janeiro; pela Rodovia Santos Dumont SP-075, que une Campinas a Sorocaba; e, ainda, pela SP-101.

É servido, também, por uma malha ferroviária administrada pela Ferroban – Ferrovia Bandeirante. Embora ainda não possua um aeroporto em seu território, Hortolândia dista somente 14 km do Aeroporto Internacional de Viracopos, o segundo em volume de cargas no país. O Porto de Santos, por sua vez, está a 190 km. Está conectado com a capital paulista por meio de rede de fibra óptica.

As principais atividades econômicas desenvolvidas no município estão ligadas à indústria e à prestação de serviços, destacando-se os setores de informática e metalurgia, que exportam parte de sua produção.

Grandes empresas estão instaladas em Hortolândia, tais como: IBM (equipamentos para informática), BSH Continental (freezers e refrigeradores); Dow Corning (silicone e derivados), Magneti Marelli (painéis eletrônicos de bordo e autopeças), Advanced Electronic Technology (equipamentos para informática), EMS (farmacêutica), Nature’s Plus Farmacêutica, BMBA Bekaert Arames, Cerâmica Sumaré, GKN Sinter Metals, Adecco Top Services (recursos humanos), C-Mac (armários para centrais telefônicas), Pemstar (telefones celulares), Comsat (serviços em telecomunicações), Solectrom (eletrônicos) e outras. Recentemente, foi construído um condomínio industrial fechado – o Tech Town –, para abrigar empresas de diversas áreas, e nele já se instalaram uma unidade do grupo Ibis de hotelaria e a metalúrgica Gonvarri Brasil.
Quanto ao ensino superior, Hortolândia beneficia-se da proximidade com Campinas, que é um dos mais
 
importantes pólos universitários do país, sede de mais de uma dezena de institutos de pesquisa nas áreas de microeletrônica, informática e telecomunicações.

Conta, ainda, com duas faculdades privadas locais: o Instituto Educacional Howell, com cursos de graduação em Administração de Empresas, Ciências Contábeis, Propaganda e Publicidade, Sistemas de Informática e Turismo; e o Instituto Adventista São Paulo, que oferece cursos de Pedagogia e Educação Física. Possui, também, três escolas técnicas de 2º grau, além de um centro de pesquisas em ciência e tecnologia.

A população de Hortolândia tem acesso a avançados serviços de saúde em Campinas, além da rede local de atendimento básico.

Existem várias opções de turismo e lazer no município e em suas redondezas, tais como: o Circuito das Águas (onde se localizam as mais concorridas estâncias hidrominerais do sudeste do país), o maior parque aquático do país, um moderno parque de diversões e diversos hotéis-fazenda, que propiciam aos seus hóspedes e visitantes momentos de tranqüilidade e entretenimento.

O município dispõe de nove conjuntos residenciais, a maioria em construção, representando uma oferta de mais de 4 mil unidades, entre casas e apartamentos.
Existem quatro provedores de acesso à Internet.
Os serviços de coleta de lixo domiciliar e industrial e o transporte coletivo municipal são operados por empresas privadas.

Para atrair novos investimentos, a prefeitura oferece incentivos, como: isenção, por 20 anos, de Imposto Predial e Territorial Urbano – IPTU, Imposto Sobre a Transmissão de Bens Inter-Vivos – ITBI e taxas municipais; isenção, por 5 anos, de Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza – ISSQN; serviços de terraplenagem; ressarcimento do valor da área adquirida e de 20% do valor da construção; e devolução de parte do Imposto Sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços – ICMS até o término dos pagamentos referentes aos dois ítens anteriores.
 
Fontes consultadas: Fundação SEADE • Investimentos.SP - 2008