HOME | Principais Cidades de São Paulo | Regiões e Cidades | Turismo e Cultura | Mapas Temáticos | Artigos | Mapa do Site
 
  Bragança Paulista: Terra da Lingüiça
 
 
Para saber mais sobre a cidade
e outras conveniências:
Distância da capital: 83 km
A cidade
Números
Como chegar
Distância entre as cidade da região
Mapas Temáticos - Índice
     

Bragança Paulista localiza-se a 83 km da capital do Estado, no centro do quadrilátero formado pelo Vale do Paraíba e região de Campinas – as duas regiões mais desenvolvidas do interior paulista –, sul de Minas Gerais e norte de São Paulo. Fica, ainda, a 50 km de distância do Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos, a 80 km do Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas, e a 154 km do Porto de Santos.

O município é cortado no sentido norte/sul pela BR-381 Rodovia Fernão Dias e fica, ainda, a 150 km da Hidrovia Tietê–Paraná. No Aeroporto Arthur Siqueira, com 1.200 m de pista asfaltada e movimento de aeronaves superior a 40 mil pousos e decolagens, funcionam, também, o Aeroclube de Bragança Paulista e um heliporto, com pista e hangares próprios.

Bragança Paulista está relacionado entre os primeiros beneficiados pela rede de distribuição de gás natural do Gasoduto Bolívia–Brasil, operada pela Comgás, e pelo novo gasoduto da Petrobrás que deriva de Taubaté e liga a Paulinia, passando pelo município. Dispõe de cabeamento de fibra óptica, que percorre a Rodovia Fernão Dias, além de um cabeamento urbano.

Segundo historiadores da região, a fama de Bragança Paulista – grande produtor de suínos – como Terra da Lingüiça deve-se à lingüiça caseira que uma imigrante italiana começou a comercializar em 1911, que era levada a outras cidades pelos viajantes bragantinos e passou a ser conhecida como "lingüiça da Dona Palmira de Bragança". Posteriormente, diversos estabelecimentos do município passaram a comercializar o produto, muito procurado pelos visitantes.

As principais atividades econômicas estão ligadas à agropecuária (cultivo de batata e café; criação de suínos, bovinos e eqüinos), à indústria (existente no município há mais de 50 anos) e ao comércio varejista para toda a região. Parte da produção local destina-se à exportação, como inseminação artificial, eletroeletrônicos, medicamentos, confecções, papel e alimentos.

O parque industrial é diversificado, destacando-se as seguintes empresas: Santher (papel); Arcor (alimentos); OSG (ferramentas); Hemogram (hemodiálise); Marco Polo (confecções); Tyco (componentes eletrônicos); Baptistucci (autopeças); Guarilux (material elétrico); Sakata (sementes); Suape (têxtil); Sercia-Yakult (inseminação artificial).

Existem cinco Distritos Industriais com infra-estrutura completa e acesso pavimentado, onde estão instaladas cerca de 60 empresas de diversas nacionalidades, que atuam em diferentes setores industriais. Bragança Paulista possui, ainda, um condomínio privado para empresas de pequeno e médio porte que permitem compartilhar custos de sua administração. O projeto "Minha Fábrica" segue o princípio de parques industriais, nos moldes do norte da Itália, especializados e com gestão comercial e técnica suficientes para manter as empresas competitivas e gerando investimentos.

O comércio varejista e atacadista do município está pulverizado em centenas de estabelecimentos familiares, existindo, entretanto, filiais de importantes redes de magazines, como Casas Bahia, Lojas Cem e Magazine Luiza.

A privilegiada localização de Bragança Paulista e a possibilidade de utilizar os recursos universitários de Campinas (Universidade Estadual de Campinas – Unicamp e Pontifícia Universidade Católica de Campinas – Puccamp), Piracicaba (Escola Superior de Agricultura Luis de Queiroz – Esalq) e São José dos Campos (Instituto Tecnológico da Aeronáutica – ITA) permitem desenvolver atividades econômicas diversificadas e de alta tecnologia. No município, existem duas instituições de ensino superior: a Universidade São Francisco – USF, com 13 cursos de graduação, inclusive Medicina, Odontologia, Direito, Hotelaria e Turismo, e pós-graduação; e a
Faculdade Municipal de Ensino Superior – Fesb, com oito cursos, entre eles Medicina Veterinária e Nutrição.

 
Além disso, existem cursos técnicos de 2º grau operados pela Fesb e a unidade local do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial – Senai, que oferecem ensino profissionalizante em diversas áreas.

Bragança conta com três hospitais. A Universidade de São Francisco mantém o Hospital Universitário, que tornou a cidade um importante centro de referência no setor de saúde, atendendo a toda a região, com serviços de alta complexidade. O recém-inaugurado Hospital Bom Jesus, municipal, além de aumentar o número de leitos disponíveis e ter um Pronto Socorro 24 horas, vai atuar em várias especialidades, inclusive a odontológica. A rede local compreende, ainda, o hospital da Santa Casa de Misericórdia e vários postos de saúde.

Com um clima ameno e temperatura média de 19,4ºC, o município está situado na Região Bragantina, conhecida como Circuito das Águas e composta pelas estâncias de Águas de Lindóia, Amparo, Atibaia, Bom Jesus dos Perdões, Bragança Paulista, Joanópolis, Monte Alegre do Sul, Nazaré Paulista, Pedra Bela, Pinhalzinho, Piracaia, Serra Negra e Socorro.

Cerca de 75% de seu território é coberto por áreas verdes e é privilegiado, também, do ponto vista hidrográfico. Além dos rios Jaguari e Jacareí, que formam a Represa do Jaguari – integrante do Sistema Cantareira, que responde por 60% da água consumida pela Região Metropolitana de São Paulo –, Bragança possui os ribeirões Lavapés, Canivete e Toró. Essas características, a diversidade da flora e da fauna e a tranqüilidade atraem milhares de visitantes nos finais de semana para as chácaras e sítios existentes no município.

As principais atrações turísticas bragantinas são: o Lago do Taboão, o Parque Luiz Gonzaga da Silva Leme (Parque das Pedras), o Lago do Tanque do Moinho, com o Clube de Regatas Bandeirantes, e o Posto Zootécnico Dr. Fernando Costa (posto de monta), onde se realizam anualmente exposições agropecuárias e industriais. Há, também, diversos equipamentos culturais, a saber: Museu Municipal Oswaldo Russomano, Museu do Telefone; Casa da Cultura/Sociedade Sinfônica Amadores da Arte Musical/Orquestra Sinfônica de Bragança Paulista; Biblioteca Pública Adalzira Bittencourt; Centro de Documentação e Informação da Câmara Municipal; Centro de Difusão Cultural Poliarte; Centro de Memória da Universidade São Francisco; Espaço Cultural Luiz Gualberto.

Bragança Paulista possui dois clubes recreativos e um clube de golfe em fase de implantação. Dispõe de vários hotéis, que oferecem diferentes níveis de conforto aos visitantes, e alguns possuem instalações adequadas para a realização de eventos de grande porte, como o Hotel Santo Agostinho.

Há diversos condomínios residenciais fechados de alto padrão na zona sul da cidade, um deles o Condomínio Jardim das Palmeiras. A população com renda média, por sua vez, encontra áreas em bairros como Jardim São Lourenço, Nova Bragança, Jardim Europa e outros.

A rede de abastecimento de água atende a 85% da população e a coleta de esgotos a mais de 75%.

Há 15 agências bancárias e serviços de locação de veículos. O município conta, ainda, com 20,9 terminais telefônicos para cada grupo de 100 habitantes e telefonia celular móvel; duas retransmissoras de televisão, a TV Vanguarda (Globo) e a TV Bandeirantes, além de uma geradora e transmissora em instalação, a Inter TV; e seis provedores de acesso à Internet, sendo o maior deles a UOL.

Existem oportunidades de negócios vinculadas às licitações públicas de diversas obras nas áreas de esporte, lazer, habitação, saúde e educação, além de projetos de expansão da infra-estrutura de água, esgoto, tratamento de lixo e resíduos.

Para atrair novos investimentos, a prefeitura oferece incentivos, como a doação de lote para instalação de empresas, além de serviços de terraplenagem e acesso pavimentado.
 
Fontes consultadas: Fundação SEADE • Investimentos.SP - 2008